Páginas

KIZOMBA EBAB/ 2017

Alunos e Professores reunidos para o evento que aconteceu o dia todo!
Em 20/11/1965 foi morto Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares, símbolo de resistência à escravidão e busca da liberdade.
Em 2013 foi instituída a Lei 10.639 que diz que o dia 20/11 deve ser incluído no calendário escolar o Dia da Consciência Negra. Um dia para refletir sobre a realidade do negro no Brasil, para lutar contra o preconceito racial e conscientizar a sociedade da importância da importância dos afro-brasileiros para a história e cultura do País.
Alunos vestidos e com pintura
facial para apresentação
Kizomba entre os meados de 1950 a 1960 eram grandes festas, com misturas de vários gêneros de músicas e danças africanas, como uma forma de celebração à cultura e à liberdade do negro.
Para prestigiar esta data foi que a Escola Arnaldo Brandão fez sua culminância destes trabalhos que vem acontecendo durante todo o ano letivo e culminou na KIZOMBA EBAB.
Thiozinho Nogueira
 e seu Rap: VITÓRIA!

Tivemos uma verdadeira amostra de compromisso, competência e envolvimento de toda a equipe sob a coordenação da professora Regina Almeida. Apresentações culturais, músicas de gêneros variados, declamação de poesia, teatro, dança, exposição de textos, poemas, imagens, pinturas rupestres, oficinas de turbante e pintura corporal, amostra fotográfica “Coisas do Cotidiano” de Simone Luz e poemas de Clarissa Costa.
Nossos visitantes ilustres foram o fotógrafo James Orsi com sua exposição “Pescador de Histórias” cuja apreciação dos alunos resultou na produção de belíssimos poemas, Thiozinho Nogueira que encantou a todos com seus Raps e a escritora Dulce Marcolino Silva que compartilhou sua história e a realização de seu sonho: a publicação do livro: Memórias do Sertão.
E para nossa alegria, a professora Olindina de Paula Bravo criou um rap chamado Consciência e Diversidade que ilustra de maneira maravilhosa o Dia Vivenciado:  
Escritora
Dulcecléia  Marcolino Silva :
"MEMÓRIAS DO SERTÃO"
Aluno Kauâ do 3º Ano:
pintura facial
RAP CONSCIÊNCIA E DIVERSIDADE
Autor: Olindina de Paula Bravo
Não sei qual é a tua língua, se africana, alemã ou grega.
Se a cor da tua pele ela é branca ou é negra
Só sei que somos seres ocupando a mesma terra,
Esse planeta que ainda perde tempo com as guerras
Guerras nos becos, nas ruas por conta da diversidade.
Guerra nas periferias e nos centros das cidades
Presta atenção, meu amigo, naquilo que vou te dizer
Não tem raça nem cor definida, nem padrão entre mim e você.
Quando ouço os cantos dos pássaros e a força da criação
Vejo que Deus não pensou em fazer ninguém melhor
Ele criou a humanidade pra ninguém viver tão só
Tem gente de todo jeito, andando pela cidade.
Poemando: Alunas e Professora Silviane:Declamando Poesias 
Raper: Thiozinho Nogueira

Pintura Rupestre
A escola e o espaço organizado para a Kizomba
Recitando sobre Diversidade: Rosana & Rosane,
um poema de Bráulio Bessa

Sávio e Maria: Cantando a sua Fé!
Professor Eraldo, Regina Almeida, a organizadora do evento,
James Orsi nosso convidado especial e Luciane diretora

Exposição de Poemas - Professor José
Literatura: Diversidade
James Orsi compartilha com professores e alunos
 Pescador de Histórias"

Coral Vozes em Ação: Dialeto Africano e Espanhol: 5º Ano,
 professora Quésia Pereira

A Dança: Professor Chico e Nossas Crianças
Professora Olindina:
Autora do Rap Diversidade
Dança do Maculelê: 5º Ano - professora Liliene
Apreciação da Música Imagine em LIBRAS
Teatro: "O menino de Todas as cores"